Vitrina & Cia
PÁGINA INICIAL
EMPRESAS
ENTIDADES
FEIRAS NO BRASIL
FEIRAS NO MUNDO
EXPOSIÇOES E EVENTOS
ARTIGOS
COMÉRCIO EXTERIOR
ENTREVISTAS
MANUAL DE GEMAS
CURSOS
CURIOSIDADES
JOALHERIA DE ARTE
MODA E TENDÊNCIAS
DICAS PRECIOSAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
CLASSIFICADOS
PROMOÇÕES
COTAÇÃO DO DÓLAR
ANÚNCIOS
SOBRE O JOIABR
FALE CONOSCO
::::::::::::::::::::::::::::

© Joiabr - 2000
info@joiabr.com.br

UMA JÓIA DE VITRINE!

Patrícia Rodrigues *


Patricia Rodrigues


O que representa uma vitrine para uma joalheria?
Como em todo estabelecimento comercial, ela representa sua maior ferramenta de merchandising e por conseqüência um excelente vendedor.

Hoje se sabe que a vitrine é responsável direta por 85% das vendas em relojoarias e, quando trabalhada adequadamente, este número pode chegar a 93%. Sem nenhuma dúvida uma grande ferramenta de vendas, mas a vitrine não é responsável somente pela venda de uma loja; ela carrega a identidade visual da mesma. Portanto trabalhar a comunicação da empresa, em perfeita coerência com a vitrine, é fator fundamental para uma empresa.

A vitrina deve ser tratada como uma jóia, que é fonte vendas e comunicação direta do lojista com o consumidor. No Brasil e em alguns países do mundo esta consciência ainda não atingiu a maior parte dos empresários, que tratam a vitrine com descaso. E na sua maioria é simplesmente por falta de informação.

Mas uma vitrine pode ter efeito contrário aos mencionados acima, quando não está em conformidade com alguns detalhes de exposição.

Perguntam-me muito quais são as regras de montagem, o que é certo e errado. Ë muito complexo o universo que corresponde a uma vitrina, mas vou tentar de maneira sucinta passar algumas dicas, pois por se trata de "técnicas de vendas e marketing que usa arte como meio de expressão" - o céu é o limite para a criatividade. E não existe uma regra geral para acertar, mas vamos lá !

Algumas dicas para ser uma jóia de vitrina:

1- Evite poluição:
A poluição visual é resultado de excesso de informação; este excesso vem da grande quantidade de mercadorias exposta - display, adesivos, cartazes, sem falar nos vasinhos que muitos colocam para enfeitar. Muitos lojistas acreditam que expondo muita mercadoria maior será a venda, mas isto não é uma verdade. O que acaba acontecendo é que, com muita mercadoria colocadas lado a lado, não se destaca o detalhe que o produto tem, e ainda tira o charme que cada um deve ter para seduzir o consumidor.
Então elimine os adesivos dos cartões de créditos por pequenos displays, que devem estar colocados discretamente entre alguns grupos de mercadorias. Lembre-se você não é uma administradora de cartões. Evite excesso de flores, vasos, detalhes que fazem com que o consumidor confunda sua decoração com seus produtos. Não que esta vitrina fique feia, mas o importante é que fique vendável.

Veja o exemplo abaixo, uma bela vitrina, mas com excesso de flores.

2- Trabalhe em grupos:
Quando se fala em trabalhar em grupos, estamos falando de espaços entre os displays e os produtos. Os grupos de dividem em: marcas, estilos e, principalmente, feminino, masculino e infantil. O espaço entre as mercadorias ajuda no controle da poluição, traz para a vitrine equilíbrio e o principal: uma fácil leitura. O espaço ideal entre o display é em média 30 cm.

3- Tridimensionalidade:
A vitrine é um espaço tridimensional, com teto, piso, lateral e fundo. Mas o que se nota é que este espaço na maioria dos casos é trabalhado somente no piso. O teto é pouco usado; o correto é trazer deles as decorações que estão sempre colocadas entre os produtos, confundindo o consumidor. Trabalhar a profundidade corretamente requer ter produtos intercalados ora na frente, ora mais ao fundo, dando assim um movimento, o que é muito agradável aos olhos.

4- Iluminação:
As maiorias das vitrines pecam na iluminação. Não há como se ter uma vitrina harmoniosa sem uma iluminação dirigida. A iluminação é o grande segredo de uma boa vitrine!

Existem três formas corretas de iluminação

5- Saiba pra quem vai fazer sua vitrine:
De todas as dicas esta é sem dúvida a mais importante. Antes de montar sua vitrine faça uma pesquisa interna sobre como pensa o consumidor que se quer atingir, como se processa sua reação mediante uma vitrine. Estes dados estão ligados à faixa sócia-economica e cultural a qual ele pertence. Analise também o bairro em que está sua loja, a circulação dos corredores ou da rua em que está localizada. Faça uma pequena investigação sobre o que tem ao seu redor no bairro e descubra qual o tipo de empresa que a cerca (pública, multinacional, etc), pois este ítem determina qual é melhor data para se montar sua vitrine e qual a periodicidade que deve ter.

Estes e outros dados são fundamentais para começar um projeto de vitrine. Comece a mudar por estas dicas, faça uma experiência, tenho certeza que o resultado será bom. A vitrine tem que ter vida, mudá-la faz parte do sucesso da loja, use e abuse desta ferramenta de vendas.

Sucesso e boas vendas!


Patrícia Rodrigues * - Designer de vitrine e sócia-proprietária da Vitrina&Cia


Voltar ao index