PÁGINA INICIAL
EMPRESAS
ENTIDADES
FEIRAS NO BRASIL
FEIRAS NO MUNDO
EXPOSIÇOES E EVENTOS
ARTIGOS
COMÉRCIO EXTERIOR
ENTREVISTAS
MANUAL DE GEMAS
CURSOS
CURIOSIDADES
JOALHERIA DE ARTE
MODA E TENDÊNCIAS
DICAS PRECIOSAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
CLASSIFICADOS
PROMOÇÕES
COTAÇÃO DO DÓLAR
ANÚNCIOS
SOBRE O JOIABR
FALE CONOSCO
::::::::::::::::::::::::::::

© Joiabr - 2000
info@joiabr.com.br

 

Tesouros

 

 
Joia br - 11 de novembro de 2015
 


Leilão de joias na Suíça estabelece um novo recorde mundial para diamantes.

Da redação - Nesta quarta-feira (11), a Sotheby’s promoveu mais um leilão de joias em Genebra e o raro diamante azul, que era o grande destaque da venda, não decepcionou. O Blue Moon, de 12,03 quilates, estabeleceu um novo recorde mundial de preço para um diamante, por quilate e também para uma joia em um leilão. Foi comprado por 48,5 milhões de dólares por um colecionador de Hong Kong, que o renomeou “The Blue Moon of Josephine” (saiba mais sobre este diamante aqui).

O leilão ainda ofereceu preciosos diamantes coloridos, além de joias de procedência nobre e também de marcas famosas, como Cartier, Van Cleef & Arpels, Chaumet e JAR.

Outros destaques foram um diamante rosa-púrpura (fancy vivid, cor natural, SI1, tipo IIa) de 8,24  quilates, montado em um anel com diamantes – vendido por US$13,8 milhões; um diamante amarelo de 22,43 quilates - classificado como "extravagante vivid yellow" pelo GIA, com claridade VS2, montado em um anel com dois diamantes de cerca de 4 ct cada (vendido por 2,5 milhões de dólares, valor bem acima do estimado, que estava entre  US$1,3 e 1,6 mi) e um anel com uma safira da Cachemira de 16,40 quilates ladeada por dois diamantes em lapidação baguete - joia vendida por US$ 2,7 milhões.

Da coleção de joias de Dolores Sherwood Bosshard veio o magnífico colar de esmeraldas e diamantes, assinado por Harry Winston (1959). A joia foi vendida por 3,8 milhões de dólares.

Tiaras

Encomendada pelo armador canadense Sir Hugh Allan Montagu por volta de 1909,  a tiara da foto abaixo pertencia à coleção de sua esposa Lady Marguerite Allan (1873-1957). Estava entre as joias que Lady Allan levou com ela a bordo do RMS Lusitania em 1915. O navio naufragou depois de ser torpedeado por um submarino alemão. Lady Allan sobreviveu ao desastre e levou consigo a tiara, que permaneceu na família. Foi vendida por 799 mil dólares, quase o dobro do valor estimado!

Outra tiara, que tem uma história interessante, foi feita pela Cartier com aço enegrecido e decorada com fileiras de diamantes. A peça fez parte de uma de uma série de cinco diademas criados pela maison francesa entre 1912 e 1915. A joia foi arrematada por US$536 mil, dentro das expectativas.

Entre os cobiçados itens da venda de hoje, ainda estava incluído um pingente de diamante laranja/rosado, que pertence ao  ator Sean Connery, famoso por sua atuação como James Bond, entre outros sucessos. A pedra, em lapidação briolet, pesa 15,20 quilates Com valor estimado entre 1,2 e 2,4 milhões de dólares, a peça foi arrematada por muito mais do que o esperado. O lance vencedor foi de 4 milhões de dólares. O comprador, além de apreciar uma bela gema, deve ser fã do agente secreto 007 também!

Entre os lotes que não foram arrematados estava um anel de rubi e diamantes, que fez parte da coleção pessoal da última rainha da Itália, Maria-José (1906-2001). A joia tem proveniência impecável: foi um presente do bibliófilo italiano Tammaro de Marinis, por ocasião do casamento de Maria-José com o príncipe herdeiro Umberto, em 1930. O rubi birmanês tem 8.48 quilates, sem evidências de tratamento térmico, e ostenta a mais procurada tonalidade para rubis: "sangue de pombo". De acordo com o Instituto Gemológico da América (GIA), "qualquer rubi birmanês superior a 5 quilates é considerado muito raro, mesmo hoje. Assim, no século XIX, um como este - com mais de 8 quilates e cor intensa – já era considerado verdadeiramente excepcional". O preço do anel estava estimado entre 5,8 e 8,7 milhões de dólares...

Matéria relacionada: >>> Lua Azul

fotos: divulgação Sotheby's.


 

© Copyright Joia br = É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, sem prévia autorização

 

 

voltar ao index de notícias