PÁGINA INICIAL
EMPRESAS
ENTIDADES
FEIRAS NO BRASIL
FEIRAS NO MUNDO
EXPOSIÇOES E EVENTOS
ARTIGOS
COMÉRCIO EXTERIOR
ENTREVISTAS
MANUAL DE GEMAS
CURSOS
CURIOSIDADES
JOALHERIA DE ARTE
MODA E TENDÊNCIAS
DICAS PRECIOSAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
CLASSIFICADOS
PROMOÇÕES
COTAÇÃO DO DÓLAR
ANÚNCIOS
SOBRE O JOIABR
FALE CONOSCO
::::::::::::::::::::::::::::

© Joiabr - 2000
info@joiabr.com.br

HOJE
MUNDO GÓTICO


Adriana Costa *

agosto/2006

O Estilo Gótico surgiu durante a Idade Média, influenciou a época Vitoriana, inspirou uma subcultura e, HOJE, está na moda!

Os séculos XI e XII foram marcados por mudanças sociais, políticas e econômicas. Visando a solidificação do Estado unificado, o poder político representado pelo monarca juntamente com a Igreja aspiram a algo que lhes devolva a dignidade e glória de outros tempos. A Igreja percebe que os fiéis se concentram nas cidades e projetam construções. Surge então, na arquitetura, o estilo gótico quebrando os padrões estéticos da época.


As catedrais se tornam símbolo do poder de Deus, da Igreja e do Estado. Através da revolução estética, o homem comum, que admira a glória de Deus, toma consciência da sua mortalidade e inferioridade. Fotos: Catedral de Notre Dame - Paris

A joalheria da época tem suas formas diretamente influenciadas pela arquitetura, e seu verticalismo. Formas pontudas tomam o lugar das arredondadas. As superfícies se tornam mais limpas resultando numa elegância formal. São usadas pérolas e pedras, principalmente rubis, safiras, esmeraldas e granadas. As pedras têm formato de cabochão, em sua maioria, mas é nesta época que se inicia o desenvolvimento de facetas na lapidação. A cor das pedras era escolhida de acordo com seus poderes espirituais e curativos seguindo o LIBER LAPIDUM ou o Livro das Pedras de Malbodul, bispo de Rennes na Britania. Os broches eram as peças mais usadas. As medalhas ou botons de santos, assim como os relicários, eram bastante populares entre os usuários de jóias. Muitas peças continham escritos.

O termo gótico, no entanto, surge somente no séc XVI, criado por Giorgio Vasari, considerado o fundador da história da Arte. A terminologia é criada com fortes conotações pejorativas. Para Vasari, o estilo da Idade Média era o oposto da perfeição clássica, sendo obscuro e negativo, digno de bárbaros e vândalos, por isso a nomeação foi relacionada aos Godos, povo que destruiu a Roma antiga.

Durante o romantismo a arte volta-se para o passado. O período misterioso e desconhecido da Idade Média com suas imponentes catedrais fascina o espírito revivalista romântico do séc XIX. A restauração das catedrais aliada ao luto Vitoriano faz surgir um período Neo-Gótico ou Gótico Vitoriano.

A rainha Vitória que ficou 40 anos de luto pelas mortes de seu marido e de sua mãe, criou uma etiqueta e regras rígidas para o luto. Neste período, as roupas de luto permitiam as mulheres lidar com a perda de um ente querido e expressar sua dor em público. A cor preta, na era vitoriana, representava a ausência de luz e, portanto, de vida.

Apesar da joalheria de luto já existir ha 2 mil anos foi neste período que elas tiveram o seu auge. Muitas peças continham mechas de cabelo das pessoas amadas . As caveiras foram bastante usadas para lembrar às pessoas a sua mortalidade. Havia um grande número de jóias totalmente negras.


No final dos anos 70 e início dos 80 do séc XX, na contramão do flower power dos hippies, surgiu o movimento punk. Deste movimento descenderam os Darks e, deles, os Góticos. Estes góticos usam o luto como forma de denúncia do modo solar e alienado da cultura atual. Em busca da atmosfera de luto e melancolia, eles se voltam para o período Vitoriano e para a Idade Média.As cruzes, crucifixos e vampiros relembram a mortalidade. O movimento gótico persistiu se transformando numa subcultura.

No séc XXI os góticos voltam a estar evidência trazidos à cena pela juventude japonesa. No Japão existe hoje um movimento de bandas musicais, chamado VISUAL KEI ou Visual Rock. Nestas bandas que misturam vários estilos musicais o mais importante é a estética visual criada para suas apresentações. Eles muitas vezes recorrem à milenar arte do KABUQUI, em que atores masculinos interpretavam papéis femininos, sempre em glamurosos figurinos. Mana e sua banda Malice Mizer, incorporaram o ambiente gótico em um visual bem ao estilo do filme Entrevista com o Vampiro e lançaram esta moda entre seus muitos seguidores.


Mana: Lolita gótica
Os Visual Key têm uma visão romântica da vida e da morte e convidam as pessoas a experimentar um mundo novo tão belo e cativante quanto a fantasia que eles representam. Numa extrapolação do mundo Gótico, nasceram as Lolitas Góticas que. hoje, misturam vários estilos e prometem quebrar vários conceitos da moda

Na joalheria, podemos ver a influência do Gótico principalmente no trabalho do designer Stephen Webster, que mistura tatuagens tribais, caveiras e cruzes. A Dior tem uma coleção intitulada a Noiva do Vampiro e conta esta estória de amor com crucifixos, caveiras, corações e peças com gotas de sangue, digo, rubi.


Jóias de Stephen Webster

Como o Japão comprovadamente desponta como um criador de tendências no universo pop que engloba moda, animação, música e design, o que acontece por lá se reflete no resto do mundo.Vivemos mais uma vez um período de nostalgia e volta ao passado, mas ao que tudo indica, o movimento promete transcender e se prepara para criar uma nova estética.

 


*Adriana Costa - é formada em Desenho Industrial pela UEMG e pós-graduada em Joalheria na Inglaterra. Finalizou em 2007 o curso de Pós-graduação em Negociações Comerciais Internacionais, na Puc Minas, com ênfase no mercado do luxo. Atualmente divide seu tempo entre consultorias para empresas nacionais e estrangeiras, com foco em negócios internacionais e desenvolvimento de produtos. Adora pesquisar tendências, mercados e fornecedores.
Contato:
adriana@vixedrix.com.br

>>>>>> INDEX