Telefone

+55 (11)3036-7890

E-mail

joia@joaibr.com.br

Horário de funcionamento

Mon - Fri: 7AM - 7PM

Carreira

Oficina online de Cravação em garras – Aula 9

Cravar em garras parece fácil, mas na verdade é um trabalho ingrato, pois mostra muito claramente os defeitos de cravação.

A primeira coisa a se fazer é nivelar as garras, então veja se todas estão na mesma altura. Caso alguma delas esteja menor ou maior, você deverá limá-la até que fique tudo por igual. (veja a ilustração ao lado, onde a pedra é cravada por 4 garras)

Com uma fresa você deverá desbastar cada garra na mesma altura conforme o desenho abaixo:

Se você deixar uma garra maior ou menor, a pedra ficará torta e bem visível. Então tome cuidado para que todas as garras estejam na mesma altura! O acabamento nas garras poderá ser redondo ou quadrado, feito por uma lima esquina.

Este procedimento é válido para qualquer tamanho ou formato de pedras.

*Sergio Trad Alves – é ourives há mais de 30 anos, trabalhando e ensinando nas áreas de ourivesaria, cravação e fundição de cera perdida. Já ministrou cursos em Londrina, Florianópolis, Camboriu, Paranavaí, cidades de Minas Gerais e do interior de São Paulo.

Carreira

Oficina online de Cravação em garras – Aula 8

Material necessário: tesoura, 2 chapas de latão 1mm, compasso, buril

1ª Etapa: FAZENDO LOSANGOS:

Corte uma chapa de latão com 30X30mm
Divida a chapa como no desenho, usando o compasso

Com o buril corte a chapa como se fosse fazer um triangulo partindo da primeira linha mas sem fazer o corte da base. Preencha toda a chapa. Perceba que novos losangos irão aparecer.
Incline o buril e terá uma visão tridimensional.


2ª Etapa: TRABALHANDO COM TRIÂNGULOS:

  • Corte uma chapa de latão com 30X30mm
  • Divida a chapa como no desenho, usando o compasso
  • Com o buril comece a cortar em forma de triângulo.
  • Repita este processo até preencher toda a chapa.

Incline o buril como na etapa anterior e terá uma visão 3D.

*Sergio Trad Alves – é ourives há mais de 30 anos, trabalhando e ensinando nas áreas de ourivesaria, cravação e fundição de cera perdida. Já ministrou cursos em Londrina, Florianópolis, Camboriu, Paranavaí, cidades de Minas Gerais e do interior de São Paulo.

Carreira

Oficina online de Cravação em garras – Aula 7

Para se tornar um bom cravador é preciso que você tenha um bom manejo com o buril. A partir desta aula nos vamos treinar vários tipos de desenhos.
A cravação não consiste em somente cravar a pedra na jóia, mas também dar vida a ela. O buril é a ferramenta que vai dar vida à jóia.

Vamos começar com o buril anglete e, ao longo do curso, passaremos para outros tipos.

Material:

  • Buril anglete numero 4
  • Goma laka
  • Chapa de latão 15mm x 20mm
  • Compasso

Corte a chapa na medida acima, divida com o compasso na vertical em três e na horizontal em quatro

  • Corte com o buril, aprofundando o máximo que puder.
  • Repare no desenho – corte com a ponta do buril e mantenha-o reto.
  • Agora incline o buril para que este corte a lateral dos quadrados, formando um cone como no desenho.
  • Não esqueça de afiar bem o buril e passar a lateral na lixa 600 para mantê-lo lustrado.(veja aulas anteriores)
  • Repita este processo até que os quadrados fiquem uniformes e brilhando como um espelho.

*Sergio Trad Alves – é ourives há mais de 30 anos, trabalhando e ensinando nas áreas de ourivesaria, cravação e fundição de cera perdida. Já ministrou cursos em Londrina, Florianópolis, Camboriu, Paranavaí, cidades de Minas Gerais e do interior de São Paulo.

Carreira

Oficina online de Cravação em garras – Aula 6

Como já foi dito, o cravador é o profissional que crava a pedra na jóia. Por sua vez, o ourives faz a jóia, para que o cravador possa cravar. Estas operações seriam mais simples se estes dois profissionais trabalhassem em conjunto, mas infelizmente isto pode não acontecer. Mesmo trabalhando no mesmo atelier, os dois podem divergir.

Para se cravar, chapa, caixa, garra e laterais devem obedecer a uma medida correspondente à pedra. Vejamos o caso de uma cravação inglesa, onde a pedra será cravada em uma caixa.

Teremos que fazer um trilho interno, por isso a parede da caixa deve ter uma espessura correspondente a esse trilho. A pedra não deverá entrar na caixa quando esta estiver terminada pelo ourives, ou seja, o diâmetro da pedra deve ser maior que a caixa.

Temos ainda que considerar a altura da pedra.

Vamos então estudar a pedra. Mesa, rondízio, pião e altura são as medidas de uma pedra que deverão ser consideradas para se confeccionar a jóia que será cravada.

  • Mesa é uma superfície plana (parte superior da pedra) que ajuda a corretamente se posicionar a pedra.
  • Facetas, como o nome já diz, são cortes simétricos que vão fazer com que a pedra brilhe ao receber a luz.
  • Rondízio é a divisão entre a mesa e o pião.
  • Pião é a parte inferior facetada que circunda a pedra.
  • Altura é a medida total da pedra, desde a mesa até o término do pião.

Considerando a altura da pedra, o ourives terá que fazer uma caixa com no mínimo 1mm a mais, para que possa se encaixar perfeitamente.

A pedra é cravada pelo rondízio, independente do tipo de cravação. Assim, a faceta e a mesa terão de sobressair ao metal, ou seja, deverão estar expostas após o término da cravação.

O pião não pode encostar-se às laterais, deverá ficar simetricamente no centro da caixa, pois o brilho da pedra dependerá da luz recebida e a simetria da pedra na cravação fará com que a incidência de luz seja homogênea, entrando na pedra e refletindo nas facetas, provocando maior brilho.

Um outro erro muito comum quando o ourives confecciona a peça é deixar o metal onde se vai cravar muito baixo ou fino. Quando isto acontece, o pião irá sobressair-se ao metal na parte interior da jóia, encostando na pele da pessoa e trazendo alguns aborrecimentos, além de que a pedra poderá cair, por ser “empurrada” pelo contato com a pele.

Este tipo de problema estará no dia-a-dia do cravador e do ourives, mas são dois profissionais que dependem um do outro, assim como também do designer, do polidor e do lapidário. A união de todos eles contribui para que o processo produtivo seja um sucesso, trazendo, como conseqüência, o crescimento do ramo joalheiro.


*Sergio Trad Alves – é ourives há mais de 30 anos, trabalhando e ensinando nas áreas de ourivesaria, cravação e fundição de cera perdida. Já ministrou cursos em Londrina, Florianópolis, Camboriu, Paranavaí, cidades de Minas Gerais e do interior de São Paulo.

Carreira

Oficina online de Cravação em garras – Aula 5

  • Siga os três primeiros passos da lição anterior e teremos uma chapa assim:
  • Agora preste a tenção aos riscos pretos do próximo desenho.
  • Repare que os riscos laterais passam bem rente ao furo.
  • Corte com o buril aprofundando o máximo que puder.
  • A cor azul é onde você cortou com o buril – que ficará em baixo relevo;
  • a cor amarela ficará em alto relevo, que são os granitos que cravarão as pedras.
  • Divida cada granito ao meio, assim cada pedra terá quatros granitos
    Ao final você terá este desenho

>>> AULA ANTERIOR


*Sergio Trad Alves – é ourives há mais de 30 anos, trabalhando e ensinando nas áreas de ourivesaria, cravação e fundição de cera perdida. Já ministrou cursos em Londrina, Florianópolis, Camboriu, Paranavaí, cidades de Minas Gerais e do interior de São Paulo.

Carreira

Oficina online de Cravação em garras – Aula 4

Nesta aula vamos colocar em prática o que aprendemos.

Ferramentas e materiais que iremos usar:

  • Chapa de latão com 5mm de largura por 25mm de comprimento
  • Motor chicote
  • Fresa com 2mm
  • Broca de 1,5mm
  • Compasso
  • Buril

Corte a chapa na medida acima, ache o centro com o compasso no comprimento e faça um risco

Como vamos usar uma fresa de 2mm, vamos abrir o compasso com 2.2mm (se não achar esta medida, abra com 2mm e depois abra mais um pouco). Coloque a ponta do compasso no risco do centro e a outra ponta no mesmo risco para marcar os furos, assim terá a mesma distância.

Agora coloque a broca no motor de chicote e fure exatamente onde você marcou com o compasso

Agora vamos escariar (ou fazer a “cama” da pedra). Coloque a fresa no motor. Repare que a fresa tem um risco quase ao meio;é até ai que você vai entrar (não aprofunde mais que isso, senão a pedra ao ser colocada vai ficar muito funda) A fresa numero 8 corresponde a 2mm

Já com o furo feito e escariado, pegue o buril e faça um corte na lateral dos furos – bem rente a eles. (Repare que o corte passa por dentro do furo, ou seja, na lateral interna do furo)

Agora com os cortes laterais prontos, você vai colocar a ponta do buril entre as pedras e fazer um corte terminando na lateral interna do furo, repetindo até o final das pedras, conforme o desenho:

Quando você terminar, deverá ficar assim.

As partes vermelha e cinza vão ficar em alto relevo; os riscos pretos são os cortes que ficarão em baixo relevo.
Repare nos triângulos cinza, estes são os granitos, usados para cravar as pedras.

Viram como aprender a cortar é essencial para se tornar um bom cravador? Este é apenas um tipo de desenho para cravação, ainda vamos aprender muitos outros. Então, treine bastante!


*Sergio Trad Alves – é ourives há mais de 30 anos, trabalhando e ensinando nas áreas de ourivesaria, cravação e fundição de cera perdida. Já ministrou cursos em Londrina, Florianópolis, Camboriu, Paranavaí, cidades de Minas Gerais e do interior de São Paulo.

Carreira

Oficina online de Cravação em garras – Aula 3

Para treinar cortes em curvas, usaremos o desenho da Rosa dos Ventos.

Ferramentas:

  • Buril bem afiado
  • Goma laca
  • Pau de goma
  • Chapa de latão
  • Compasso
  • Paquímetro

O paquímetro é uma ferramenta de medição,
dividida em milímetros.
(Geralmente ele vem com 15cm divididos em 150mm)

Corte duas chapas de latão com 40mm x 40mm,
cole na goma laca. (coloque goma suficiente para
o tamanho da chapa)

Abra o compasso com 15mm e faça um cìrculo na chapa; então teremos um diâmetro de 30mm. Depois, sem alterar a medida, coloque uma ponta do compasso no risco da circunferência – com a outra ponta risque uma curva dentro do círculo (começando e terminando no risco externo). Repita esta operação até completar a rosa.

Agora pegue o buril, coloque a ponta no início de uma das pétalas e comece a cortar sempre de fora para dentro. Corra com o buril até o meio. Normalmente as pessoas começam da direita para a esquerda (cortando o lado direito da pétala). Quando for cortar o lado esquerdo, não comece do meio, mas sim do lado de fora. Assim você irá aprender a cortar dos dois lados.

Agora pegue outra chapa de latão do mesmo tamanho e faça o mesmo círculo. Diminua a medida do compasso e faça outro na mesma chapa. Repita este procedimento várias vezes. Pegue o buril e corte todos os círculos – se você for destro, corte todos da esquerda para direita e se for canhoto, faça ao contrário.

Repita este processo até que os cortes fiquem lisos, sem ranhuras. Esta é a alma da cravação. Apesar de parecer um simples corte, é aqui que você vai se tornar um profissional.

Até a próxima aula!


*Sergio Trad Alves – é ourives há mais de 30 anos, trabalhando e ensinando nas áreas de ourivesaria, cravação e fundição de cera perdida. Já ministrou cursos em Londrina, Florianópolis, Camboriu, Paranavaí, cidades de Minas Gerais e do interior de São Paulo.

Carreira

Oficina online de Cravação em garras – Aula 2

Afiando o buril

Vamos aprender a afiar o buril. Esta parte é muito importante, pratique o máximo que puder. No desenho abaixo, veja a pá do buril; é ai que vamos afiar.

Pegue um pedaço de lixa 240 e coloque sobre uma superfície bem plana (vidro). Repare no desenho ao lado a posição do buril – ficará em ângulo, apoiando a pá totalmente na lixa.

Agora faça um movimento de vai-e-vem, verificando a ponta da pá, em uma chapa de latão. Passe a ponta; se ela escorregar, ainda estará cega.

Após este processo, deite o buril em cima da lixa 600 já preparada. Puxe para trás, voltando o buril sem encostar na lixa. Repita o processo dos dois lados. Isto eliminará as rebarbas da pá.

O primeiro corte

A primeira coisa a se fazer é um corte em V na esteka, para obter apoio. Não comece o trabalho antes de fazê-lo!

Pegue o cabo de madeira com a goma e com a chapa de latão fixa (que foi preparado na aula anterior) e segure desta forma:

Pegue o buril. Observe que o cabo ficará apoiado praticamente na palma da mão; o polegar na lateral do buril, o dedo indicador na outra lateral. Com a palma da mão você vai empurrando o buril, para fazer o corte reto. Firme o polegar, empurre o buril deslizando por ele. Treine este movimento sem cortar. Depois, com o pau de goma, deslize o buril na chapa e aos poucos faça cortes rasos.

Observe o ângulo da pá do buril: se você levantar o cabo, a ponta irá penetrar mais na chapa, dificultando o corte.

O corte não pode ser muito profundo. Corte a chapa toda, repita os cortes, mude de chapa, vá aos poucos aprofundando o corte. Repita esse processo até sentir firmeza e confiança no que está fazendo.

Dica: Se mãos e braços começarem a doer, pare e relaxe. Faça uma mistura de água morna e sal grosso e deixe as mãos mergulhadas lá por algum tempo. (Não é uma simpatia!).

Boa sorte e até a próxima aula!


*Sergio Trad Alves – é ourives há mais de 30 anos, trabalhando e ensinando nas áreas de ourivesaria, cravação e fundição de cera perdida. Já ministrou cursos em Londrina, Florianópolis, Camboriu, Paranavaí, cidades de Minas Gerais e do interior de São Paulo.

Carreira

Oficina online de Cravação em garras – Aula 1

Olá! Nesta coluna quinzenal ensinarei técnicas de ourivesaria.

Em nossa primeira aula, começaremos falando sobre cravação e preparação das ferramentas.

Antes gostaria de explicar: cravação, como o nome já diz, é o ato de se cravar (não colar!) pedras em jóias.
Existem vários tipos de cravação: Inglesa, Granito, Chapa, Bigodinho, Garras, Invisível, Trilho, Pavê.

Vamos começar pelo material mínimo e, ao longo do curso, iremos adquirindo mais ferramentas.

Então aì vai a lista:

  • Banca de cravação
  • Motor chicote, de preferência de mandril
  • Buril anglete n° 02 com cabo
  • Lixa n° 240,600
  • Goma laca (casca de barata)
  • Chapa de latão 1mm
  • Tesoura de ourives
  • Cabo de vassoura cortado com 20cm
  • Lamparina a álcool
  • Escova de banca
  • Compasso de ferro
  • Moto-esmeril
  • Um tas
  • Martelo de 200g
  • Madeira chata de 3 x 2cm, com 30cm de comprimento

PREPARAÇÃO DAS FERRAMENTAS

BURIL

Quando compramos esta ferramenta ela vem neste formato:

 

Depois da preparação deverá ficar assim:

 


Pegaremos o buril desta forma e, bem de leve, iremos desbastá-lo no esmeril, molhando-o para que não esquente (o buril é temperado e se esquentar perderá o seu poder
de corte)

LIXA

Pegue uma lixa 240 e enrole no no pau de lixa, prendendo as extremidades com fita crepe.

Pegue a lixa 600, corte-a em pedaços de 15/20 e esfregue uma na outra até que fique uma superfície lisa

CHAPA DE LATÃO

Corte a chapa em pedaços de 20mm x 30mm; coloque o pedaço sob o tas e com o martelo a endireite para que fique com a superfície o mais plana possível. Dobre a ponta para que fique como garras

LAMPARINA, GOMA LACA E CABO DE MADEIRA

Coloque álcool na lamparina e acenda (não encha, deixe um terço vazia), pegue o cabo de madeira esquente a ponta e coloque na goma laca. A goma vai grudar na madeira, com a pinça vá puxando-a para cima e repita este processo até ter uma boa quantidade

Pegue a chapa de latão e coloque no fogo da lamparina para amornar – não esquente; coloque sob a goma e ajuste para que fique o mais uniforme possível, assim.

Agora vamos voltar ao buril.

Com pau de lixa, lixe o buril dos dois lados até que fique liso.

Ok, pessoal, voltaremos com a continuação desta aula. Até mais e boa sorte!

>>> PRÓXIMA AULA


*Sergio Trad Alves – é ourives há mais de 30 anos, trabalhando e ensinando nas áreas de ourivesaria, cravação e fundição de cera perdida. Já ministrou cursos em Londrina, Florianópolis, Camboriu, Paranavaí, cidades de Minas Gerais e do interior de São Paulo.